Outubro Rosa: dicas de prevenção ao câncer de mama

01

O câncer que mais ataca mulheres no mundo é o de mama. Temido pelas mulheres, ele também atinge os homens. Entretanto, com os cuidados certos, é possível descobri-lo a tempo de tratá-lo e curá-lo sem maiores danos ao corpo.

O ideal é realizar o autoexame uma vez por mês. Mas essa não é a única forma de prevenção. Reunimos algumas informações importantes para as mulheres (e homens também!). Confira!

– Histórico familiar
Apenas 1 em cada 10 casos de câncer de mama acontece por fatores hereditários, mas é bom ficar atenta! Se você tem casos de câncer na família – principalmente com parentes próximos como mãe, irmã, avó – não esqueçam o autoexame e um check-up completo anualmente.

– Idade de risco
Mulheres acima de 40 anos devem se preocupar mais e aumentar a periodicidade das visitas ao médico especialista. Caso exista algum caso a família, o ideal é redobrar a atenção a partir dos 35.

– Em qual médico ir?
Ao ginecologista. É esse o profissional que vai encaminhar o paciente para a primeira mamografia Se houver qualquer alteração no resultado do exame, é ele quem encaminha a paciente para um mastologista, que é o especialista em câncer de mama.

– Nódulo e cisto são a mesma coisa?
Não. Núdulo significa caroço ou tumor (que pode ser benigno ou maligno). Se for benigno, vive-se com ele tranquilamente. Se for maligno, é câncer e pode exigir cirurgia, além dos tratamentos já conhecidos como químio e radioterapia, que dependem do tamanho e do tipo do nódulo.

– Quando é preciso retirar o seio?
A mastectomia (cirurgia para retirada da mama) só é feita em casos muito graves, quando o tumor já está num estágio muito avançado.

– Perdi a mama. E agora?
A lei assegura à mulher o direito de reconstruir a mama. Isso pode ser feito, inclusive, na mesma cirurgia de retirada da mama, usando tecido do próprio corpo ou próteses de silicone. Esse procedimento é coberto pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

– Tive câncer, retirei os seios e fiz a reconstrução mamária. Ainda posso ter câncer de mama?
Sim. Mas existe um tempo para que isso possa ocorrer. Durante os cinco anos seguintes ao aparecimento do câncer, a paciente se submeter a exames periódicos que acompanham a evolução de sua recuperação. É o que os especialistas chamam de período de remissão. Se durante esse período algum exame detectar algum vestígio da doença, é preciso recomeçar o tratamento.

– Quais os principais sintomas?
Câncer de mama é silencioso e por isso, é difícil descobri-lo por sintomas já que, fisicamente, não acontece muita coisa com o corpo (ele não dói). O ideal é fazer o autoexame mensalmente, consultar o ginecologista pelo menos uma vez por ano e manter os exames sempre em dia.

– Mulheres obesas correm mais risco?
Normalmente sim. Pessoas com altos níveis de obesidade produzem mais estrogênio, o hormônio feminino responsável pelo aparecimento desse câncer. O ideal é sempre se alimentar de forma saudável, praticar atividade física regularmente e visitar o médico pelo menos uma vez por ano.

Cerca de 90% dos casos de CA de mama descobertos ainda no início reagem melhor ao tratamento, proporcionando uma cura mais rápida. Para descobrir um tumor em estágio inicial, é preciso realizar sempre o autoexame. Somente assim a mulher consegue identificar qualquer alteração no corpo. Fique atenta!

Marcações

Você também pode gostar

Deixe uma resposta