Outubro Rosa: o câncer de mama

outubrorosa1

Estamos no Outubro Rosa, mês destinado às campanhas de prevenção ao câncer de mama. E prevenção é o assunto do nosso post de hoje. Você sabe como se prevenir dessa doença? Conhece os possíveis sintomas? Sabia que ela atinge também os homens? Você disse não pra todos essas perguntas? Pois acompanha aí que a gente vai te esclarecer todas essas dúvidas!

O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve na mama como consequência de alterações genéticas em algum conjunto de células da mama, que passam a se dividir descontroladamente. Nesse quadro, ocorrem o crescimento anormal das células, ducto e glóbulos mamários. A doença não escolhe raça, cor, idade e nem sexo, podendo ser detectada também em homens, embora em menor percentual.

Prevenção, autoexame e diagnóstico precoce

O auto exame surgiu na década de 50, nos Estados Unidos, como estratégia para diminuir o diagnóstico de tumores de mama em fase avançada. Ao final da década de 90, diversos países passaram a adotar a estratégia de breast awareness, que significa “alerta para saúde das mamas”.

Essa política destaca a importância do diagnóstico precoce e busca orientar a população feminina sobre as mudanças habituais das mamas em diferentes ciclos de vida e dos principais sinais do câncer de mama. A orientação é que a mulher realize a apalpação das mamas sempre que se sentir confortável para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem nenhuma recomendação de técnica específica, valorizando-se a descoberta casual de pequenas alterações mamárias. Cerca de 65% das mulheres identificam o câncer de mama casualmente e 35% por meio do autoexame.

A prevenção do câncer de mama está relacionada ao controle dos fatores de risco conhecidos e ao comportamento considerado protetor. Estima-se que, por meio de uma alimentação balanceada e manutenção de gordura corporal adequada, é possível reduzir em até 28% os riscos de desenvolver o câncer de mama.

Mas o câncer é uma doença silenciosa. Às vezes, a paciente leva uma vida absolutamente regrada e, mesmo assim, desenvolve a doença. Por isso a prevenção por meio do autoexame é tão difundida pelos médicos especialistas e órgãos públicos de prevenção e tratamento do câncer, como o Instituto Nacional do Câncer. Recomendado para mulheres acima de 21 anos e abaixo de 40, o autoexame, é rápido e simples. São quatro formas diferentes de realizar o autoexame:

autoexame

 No espelho

Diante do espelho, levante um braço e toque suavemente cada parte da mama, procurando sentir caroços ou nódulos. Com a mão direita, você examina o seio esquerdo e com a mão esquerda, o seio direito. Sempre com os dedos esticados.

No banho          
Levante os dois braços e procure, cuidadosamente, por alterações de tamanho, forma ou contorno da mama. Observe a existência de rugosidades, entradas ou mudanças na textura da pele. Aperte os mamilos suavemente.

Deitada
Colocando a mão direita atrás da cabeça, pressione a mama direita com a mão esquerda, com os dedos indicador e médio esticados. Procure fazer movimentos circulares que vão desde a axila até o mamilo. Repita o movimento no seio esquerdo, usando a mão direita.

De pé
Pressione levemente o mamilo entre o polegar e o indicador para verificar a ocorrência de secreções. Use o mesmo movimento circular para examinar as axilas.

Principais sintomas
Nem sempre o corpo dá sinais claros de que existe um problema. Mas alguns sintomas podem ser percebidos com a ajuda do auto exame. Tais como:

  • alterações no tamanho ou forma da mama
  • vermelhidão, inchaço, calor ou dor na pele da mama
  • nódulo ou caroço que está sempre presente e não diminui de tamanho
  • inchaço e nódulos frequentes nas ínguas das axilas
  • assimetria entre as mamas (uma mama muito maior que a outra)
  • presença de um sulco na mama, como se fosse um afundamento de uma parte da mama
  • endurecimento da pele da mama (semelhante a casca de laranja)
  • coceira frequente na mama ou mamilo
  • liberação de líquido pelo mamilo (especialmente sangue)
  • inversão súbita do mamilo
  • veia facilmente observada e crescente

mamas

Grupos de risco e mamografia

mamografia5

Mulheres com histórico familiar de câncer de mama em parentes de primeiro grau antes dos 50 anos ou de câncer bilateral de ovário em qualquer idade e histórico familiar de câncer de mama masculino, devem ter maior cautela e regularidade com exames de prevenção. Além do auto exame, à algumas mulheres é recomendado o auxílio da mamografia na prevenção do câncer.

A mamografia de rotina é recomendada para mulheres de 50 a 69 anos, a cada dois anos. Mulheres com histórico familiar da doença devem ter uma atenção maior e reduzir o intervalo das visitas médicas e exames de mamografia. Aproximadamente 5% dos casos de câncer de mama ocorrem em mulheres com alto risco para desenvolvimento dessa neoplasia.

Câncer de mama em homens
Embora mais raramente, homens também podem desenvolver câncer de mama. É mais comum em homens entre 50 e 65 anos e em homens que tenham casos de câncer de mama na família.

Até a puberdade, meninos e meninas tem uma pequena quantidade de tecido mamário. Com o crescimento dos ovários, as meninas começam a produzir hormônios femininos que levam ao desenvolvimento dos ductos mamários. Nos homens, os hormônios produzidos pelos testículos impedem que estes tecidos se desenvolvam muito. Os tecidos mamários dos homens tem dutos, mas pouco ou nenhum lobo.

Os principais sintomas e o tratamento são semelhantes ao câncer de mama nas mulheres e, por isso, também há maior chance de cura se descoberto precocemente.

 

Fontes: 
Instituto Nacional do Câncer
Sociedade Brasileira de Cancerologia
Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica
Onco Guia
Tua Saúde

 

Marcações

Você também pode gostar

Comentários

Deixe uma resposta